Mensagem de Natal

Este natal gostava de deixar uma mensagem, um desabafo.

Uma amiga minha comentou comigo há uns tempos que conhecia pessoas com vidas perfeitas. Que nada nessas pessoas estragava a pintura, que tudo corria às mil maravilhas e mais além.
Discordei e disse-lhe que as coisas ou assuntos que mais magoam são normalmente escondidos e trancadas a sete chaves, coisas que se passam dentro de casa ou dentro de cada um. Não há vidas perfeitas, não há pessoas perfeitas. Lamento.

Uma outra amiga anda a servir de conselheira/mãe/amiga/psicóloga a alguém que está a passar por um período muito difícil. E toda essa ajuda que proporciona está a consumir lhe muita energia, muito tempo, muito sentimento de impotência em relação à situação.
Essa pessoa olha para a minha amiga como um exemplo, diz que quer ter o mesmo que ela tem: a família perfeita!
Então eu aproveitei e também lhe confessei a minha admiração por ela. Pelos dois filhos fofinhos, pelo marido que lhe dá prendas caras, pela casa com trampolim.

Foi em lágrimas que me disse que tentava talvez ajudar toda a gente como que em escape ao seus próprios problemas, que pelos vistos são muitos. Saiu de mim um soluçar de: oh baby, please don’t cry.  Não porque queria tornar a cena ainda mais dramática, mas sim porque comunicamos em inglês e não posso ver ninguém a chorar, muito menos essa amiga que tanto admiro.
Então lavadas as duas em lágrimas abraçamos-nos com força. Um aperto tão reconfortante (no final de contas ela é mãe não é verdade) que me fez lembrar do quanto eu precisava daquele abraço, e não de mais um típico abraço de cumprimento norueguês, que poucas vezes vem acompanhado de beijinho. Esse abraço que a informou de que também tenho assuntos que não quero partilhar, e que me lembrou a mim de temas dos quais não quero falar.

Eu também tenho galáxias de problemas dentro de mim. Uns dentro das portas de nossa casa, outros dentro do meu ser. Não falar de todos os nossos problemas em público não significa que eles não existam. Significa muitas vezes que não estamos prontos para os admitir, que não sabemos pedir ajuda ou até de que não existe ajuda para a solução desses problemas.
Não queria deixar uma mensagem de natal com uma carga destas, esta mensagem tem um final feliz.

Seja qual for a dimensão do problema pelo que estão a passar (sim, eu sei que tu que estás a ler isto também tens problemas) as coisas vão-se resolver, vão passar, vão ficar melhores.
As maiores batalhas estão reservadas para grandes guerreiros, disso não tenho dúvidas.

O meu desejo de natal para todos, todos mesmo, é que não sejam consumidos por essas lutas interiores. Não é por ninguém saber o que se passa com vocês, que esse problema não é real. Existem apenas problemas com maior desgaste que outros.
Que o vosso natal seja presenteado com a benção de aliviar ou aniquilar o que vos atormenta. De que a dor seja menos pesada. Um beijo muito grande, um abraço igualzinho àquele que a minha amiga me deu, e tudo o que seja mais ternurento para vocês.

Feliz natal, meus predilectos!

 

2 comentários sobre “Mensagem de Natal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s